Muito se debate nas redes sociais, nos sites de notícias e na comunidade científica sobre mudanças climáticas. Mas como funciona o clima em nosso planeta? Vocês já pararam para pensar sobre isso? Neste texto vou abordar um pouco sobre os mecanismos que controlam o clima e sobre algumas ações que podemos fazer para garantir melhores condições de vida na terra e na nossa cidade.

Existem inúmeros ciclos que controlam o clima, um deles é o Ciclo de Milankovitck que está relacionado a mudanças na orbita terrestre, na obliquidade e na excentricidade do eixo de translação. Este ciclo é responsável pela intercalação entre períodos glaciais e interglaciais, que ocorreram ao longo da história geológica. Conforme estudos, devido ao final de um destes períodos glaciais, nos últimos 18 mil anos o nível dos mares em escala global subiu mais de 100 metros.

Esses dados chamam a nossa atenção para um fato: o clima na Terra vai mudar e não há nada que o homem possa fazer para impedir. Isso porque o ciclo de Milankovitck e outros similares, ocorrem devido a fatores que estão fora do nosso alcance.

Alguns outros ciclos também afetam o nosso planeta com mais frequência, mas com menor intensidade, um exemplo disso são o El Nino e La Nina, que estão relacionados às mudanças da temperatura dos oceanos. Na natureza em geral quanto menos frequente é um ciclo maior é sua intensidade, ou seja, ciclos como o de Milankovitck que ocorrem na casa de milhares de anos, possuem um poder muito maior de mudanças que ciclos curtos como El Nino e La Nina.

 

Um dos fatores mais discutidos quando se fala das mudanças climáticas é a emissão de gases de efeito estufa. Acredito que nós como indivíduos e como país, devemos fazer a nossa parte para preservar o meio ambiente, e tentar afetar o mínimo possível os sistemas naturais que funcionam na Terra.  Mas quero aqui chamar a atenção do leitor para outro tema, que ainda é pouco debatido quando se fala das mudanças climáticas. As transformações globais parecem algumas vezes distantes da nossa realidade, mas existem mudanças que ocorrem muito próximas da nossa casa. São as mudanças nos microclimas.

Você já deve ter reparado que algumas regiões da cidade possuem um clima mais agradável que outras, cada uma destas regiões possuem um microclima diferente. Se olharmos o histórico de muitas cidades, veremos que as ações humanas afetam os microclimas com uma intensidade ainda maior do que as mudanças globais. Algumas vezes ações como a canalização de um rio e a derrubada da mata ciliar para construção de uma avenida é capaz de aumentar a temperatura local em vários graus, reduzindo assim, a qualidade de vida da população.

O homem não tem gerência sobre os grandes ciclos e processos que regem o clima na terra e não pode impedir algumas mudanças climáticas globais, mas podemos fazer nossa parte no planejamento das cidades, pensando na preservação de microclimas, organizando a gestão territorial a partir de análises técnicas adequadas e considerando que nosso planeta é dinâmico e composto por diversos ciclos. Precisamos nos envolver cada vez mais nos debates sobre o planejamento das nossas cidades, visando espaços mais humanos e que priorizem a qualidade de vida da nossa população.

CAIUBI KUHN é geólogo, mestre em Geociências pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Deixe uma resposta