Redação 

O prefeito Emanuel Pinheiro assinou nesta sexta-feira (22) a Ordem de Serviço para início das obras da 2ª Etapa da Orla do Porto. A medida dá continuidade ao projeto de revitalização da região considerada como uma das mais importantes de Cuiabá, em comemoração aos 300 anos da Capital. O valor total de investimento é de R$ 3.769.959,31, recurso oriundo do Ministério do Turismo e aprovado pela Caixa Econômica Federal. O trabalho tem prazo para ser concluído em seis meses.

Na oportunidade, Pinheiro fez questão de ressaltar que os recursos, parados em conta há mais de sete anos, não foram perdidos graças ao poder de articulação do Município junto ao Governo Federal. O prefeito lembrou ainda que diante da série de desafios enfrentada contou com a fundamental parceria do senador Wellington Fagundes.

“Exatamente por ser difícil, que resolvi assumir esse compromisso com a população de devolver e resgatar esse local de extrema importância cultural, social e econômica. Vamos trabalhar dia e noite para que a obra seja entregue dentro do prazo estipulado em contrato, com qualidade. Respeitando o cronograma de trabalho, vamos inaugurar a estrutura ainda no ano de celebração do tricentenário”, declarou.

Outro órgão que também contribuiu para a efetivação dos projetos e da garantia dos valores, foi a Superintendência da União. “Quero registrar e parabenizar a iniciativa do prefeito em elaborar projetos que valorizam e zelam o patrimônio público. Tenho certeza que todos seremos beneficiados com essas melhorias, que começam a ser executadas e vão embelezar a cidade”, enfatizou a superintendente da União, Lucimara Tavares.

A elaboração do projeto arquitetônico ficou a cargo da Secretaria Municipal de Planejamento, por meio do Instituto de Planejamento e desenvolvimento Urbano (IPDU). A etapa da execução e fiscalização dos serviços será de responsabilidade da Secretaria Municipal de Obras Públicas. “Essa é mais uma importante obra que vamos fiscalizar de perto para que seja entregue um local adequado dentro das normas e padrões exigidos. É uma determinação do prefeito Emanuel Pinheiro em oferecer o melhor à população e para os turistas que visitarem a nossa cidade”, declarou o secretário de Obras Públicas, Vanderlúcio Rodrigues.

Segundo a empresa vencedora do certame licitatório para a execução das obras, a equipe de trabalho começa a atuar no local já na próxima segunda-feira (25). “Além de um cumprimento de um compromisso assumido com a população, as obras de revitalização e requalificação do bairro do Porto representa um sonho realizado. O trabalho da nossa gestão é um caso de amor com Cuiabá. Tenho orgulho de ser o gestor do município que nasci e vou continuar fazendo o melhor por nossa população”, disse o prefeito.

O presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, vereador Misael Galvão disse estar emocionado com a notícia do projeto de reforma da Orla do Porto. “Nós que trabalhamos aqui nessa redondeza sabemos da tamanha importância que a região do Porto tem para a cidade, resgatando a autoestima, a história e a alma da cuiabana”, ressaltou Galvão.

Denominado como “Complexo do Porto”, além da autorização da reforma do Cais e da Orla do Porto II, assinadas essa semana, as benfeitorias abrangem também o Mercado do Porto e o Aquário Municipal, que também terão os trabalhos iniciados ainda esse ano, dentro do pacote comemorativo dos 300 Anos de Cuiabá.

Serão construídos calçadões para caminhada e contemplação, ciclovia bidirecional com a intenção de se conectar com a existente e já consolidada na Orla do Porto I. O projeto contempla ainda uma continuação ao longo da Avenida José Manoel de Arruda no sentido oposto, com calçadas, iluminação, mobiliário urbano, arborização, adequação de acessibilidade e instalação de esculturas com personalidades regionais. Também será edificada uma área coberta por lonas tensionadas destinadas às feiras locais, um espaço com aparelhos para atividades físicas ao ar livre, estacionamento, além da recuperação das margens do rio.

“Quero retomar o crescimento e o desenvolvimento do município de frente para o Rio Cuiabá. O crescimento e o desenvolvimento da cidade foram feitos de costas para o manancial cuiabano, por isso que temos essa dívida com o nosso caudaloso patrimônio natural, promovendo e reencontrando as origens, histórias e tradições”, finalizou Pinheiro.

 

Deixe uma resposta