Redação 

A estudante de Direito Hya Girotto Santos, de 21 anos – vítima de um atropelamento em frente à Valley Pub, às vésperas do Natal – deve passar por um novo procedimento cirúrgico nesta semana.

Hya, que encontra-se internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral Universitário (HGU), em Cuiabá, passou por uma cirurgia no ombro direito na tarde de segunda-feira (7). O procedimento foi realizado para colocar uma placa que deverá corrigir a fratura grave que ocorreu na região após o acidente.

A estudante foi atropelada pela bióloga Rafaela Screnci da Costa Ribeiro, de 33 anos, no dia 23 de dezembro, em frente à Boate Valley Pub, na Avenida Isaac Povoas, em Cuiabá.

Além de Hya, foram atingidos a universitária Myllena de Lacerda Inocêncio, de 22 anos – que morreu no local -, e Ramon Alcides Viveiros, de 25 anos, que não resistiu aos ferimentos e faleceu cinco dias após o acidente.

“A cirurgia no ombro direito da Hya foi bem complexa, mas concluída com sucesso, graças a Deus! Ela continuará na UTI e passará por uma cirurgia, essa semana, no braço esquerdo”, disse o irmão da universitária, Leandro Girotto.

O irmão da universitária, no entanto, não passou mais detalhes do novo procedimento cirúrgico ao qual Hya será submetida.

Melhora progressiva –  A universitária vem melhorando progressivamente desde a semana passada. Na sexta-feira (4), ela conseguiu levantar da cama com a ajuda da fisioterapeuta e deu alguns passos.

Segundo o irmão, os sedativos começaram a ser retirados no dia 31 de dezembro e Hya acordou sem se lembrar do acidente. Atualmente, ela já se alimenta sem ajuda de sonda.

A família contou para universitária que ela foi vítima de um acidente, no entanto preferiu preservá-la da informação do falecimento dos amigos.

“Ela está melhor. Falamos apenas que ela se acidentou”, disse o irmão.

O acidente –  Os três jovens foram atropelados pela bióloga Rafaela Ribeiro, que conduzia um Renault Duster Oroch. Segundo a Polícia Civil, ela seguia pela faixa de rolamento da esquerda quando, nas proximidades da Boate Valley Pub, atropelou os pedestres.

Com sinais de embriaguez, a mulher foi detida pela PM e se negou a fazer o exame de “bafômetro”.

Diante disso, uma equipe da Polícia Civil elaborou ainda no local um “auto de constatação de embriaguez”, que aponta sinais aparentes de ingestão de álcool.

Ela foi conduzida para a Central de Flagrantes para a tomada de medidas criminais e administrativas. Após ficar detida por um dia, a bióloga passou por audiência de custódia e foi liberada mediante pagamento de fiança de R$ 9,5 mil.

Deixe uma resposta