Redação Extra MT 

A ação que aconteceu durante todo o dia de quarta-feira (5) foi realizada pela Qualivida em parceria com o hemocentro do Estado de Mato Grosso que montou um posto de registro de dados e coletas de amostras no ambulatório da Casa

A adesão de servidores e visitantes à campanha promovida pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso para o cadastramento de voluntários no Registro Nacional de Doador de Medula Óssea (Redome), superou a meta e registrou cento e vinte e nove possíveis doadores.

“O Hemocentro esperava conseguir cadastrar sessenta pessoas, o Qualivida estabeleceu uma meta de oitenta, mas todas as expectativas foram superadas com participação dos servidores e visitantes da Casa, que compareceram para se habilitar como doadores”, comemora a gerente da Supervisão de Qualivida de Vida (Qualivida), Ivana Matos.

A ação que aconteceu durante todo o dia de quarta-feira (5) foi realizada pela Qualivida em parceria com o hemocentro do Estado de Mato Grosso que montou um posto de registro de dados e coletas de amostras no ambulatório da Casa.

A gerente conta que aproximadamente duzentas pessoas passaram pelo atendimento ao longo do dia, porém nem todos puderam doar os 10ml de sangue para análise. Isso porque durante as orientações alguns descobriram que tinham restrições médicas para se tornarem doadores e outros não tinham mais idade, cujo limite é de 55 anos. Também compareceram pessoas já cadastradas para tirar duvidas e atualizar as informações cadastrais.

“O resultado foi ótimo, mesmo considerando algumas dificuldades de link para acesso ao sistema nacional”, avalia a diretora do Hemocentro, Gian Carla Zanela. Ela destaca que a boa organização da estrutura e a campanha de mídia realizada para divulgação, no mês que antecedeu a ação, foram fundamentais para os resultados, que ela considerou exelente.

Continuidade – Agora, as amostras coletadas passam por exame de histocompatibilidade (HLA), teste de laboratório para identificação das características genéticas e as informações ficam cadastradas no Redome administrado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca). Quando surgir um paciente necessitando de medula óssea, é feito o cruzamento das informações genéticas e, em caso de compatibilidade, o voluntário é consultado para confirmar se deseja fazer a doação propriamente dita. Caso concorde, ele é encaminhado para fazer outros exames e efetivar o processo em um dos centros de captação no país.

Próximas ações – considerando o resultado desta ação, o Qualivida já incluiu na programação do segundo semestre uma campanha para realizar a doação de sangue. O Hemocentro será, novamente, parceiro na inciativa e o projeto já começou a ser discutido e a idéia é  viabilizar a utilização da unidade móvel, o Hemobus (onibus de coleta de sangue do MT Hemocentro), para captação de doadores, não só da ALMT, como do centro politico. Para isso, uma nova campanha de divulgação será lançada para conscientizar sobre a importância de se tornar um doador frequente e estimular participação.

Deixe uma resposta