Redação Extra MT

Um ofício foi encaminhado ao governador Mauro Mendes(DEM), assinado por 18 deputados estaduais, com a sugestão de o Estado conceder o aumento reajuste dos salários dos professores de forma escalonada. A proposta é uma tentativa de por fim a greve, que já dura mais de 40 dias.

Conforme o ofício, elaborado depois de uma reunião de deputados com integrantes do Sintep (Sindicato dos  Trabalhadores do Ensino Público) na manhã desta quarta, o aumento de 7,69% previsto na lei da dobra de salário seria dividido em três parcelas.

A primeira seria de 2,6% a ser paga na folha salarial de agosto;  a segunda (2,6%) entraria na folha de novembro e a última (2,49%) em fevereiro do ano que vem.

O documento informa que o pagamento da elevação salarial será possível em razão do incremento de receita verificado nos primeiros meses do ano e o previsto para os próximos meses.

Segundo os deputados, houve um incremento da receita estadual por meio do Fethab (Fundo Estadual de Transporte e Habitação) no primeiro quadrimestre no valor de R$ 282,2 milhões.

Os parlamentares citaram também que  para o ano que vem existe uma expectativa de incremento na receita, a partir de janeiro, como resultado do projeto de lei de receitas oriundas de renúncia fiscal, estimadas em R$ 500 milhões. “Considerando a inclusão da receita dos recursos do FEX (Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações)  no cálculo da receita corrente líquida”, consta no ofício.

Deixe uma resposta