Redação Extra MT 

O senador Flávio Bolsanaro (PSL/RJ) nega que tenha usado de grito ao falar com a colega de partido e parlamento, senadora Selma Arruda (PSL/MT). A situação teria ocorrido por ligação, quando Flávio, no intuito de demovê-la da ideia de manter a assinatura em apoio a uma CPI para investigar integrantes do Supremo Tribunal Federal. A senadora disse à Folha de S.Paulo que o filho do presidente teria a pressionado e até gritado nesta ocasião.

“Jamais gritaria ou trataria mal a senadora Selma. Prefiro não comentar. Entendo o momento difícil que ela está passando”, disse Flávio em mensagem encaminhada à reportagem por sua assessoria de imprensa.

De acordo com a senadora, no último dia 21, Flávio ligou para ela e gritou ao telefone.

“Ele estava um pouco chateado. Alguém disse para ele que nós tínhamos assinado uma CPI que iria prejudicar ele e ele falou comigo meio chateado, num tom meio estranho. Eu me recuso a ouvir grito, então, desliguei o telefone”, disse a senadora, que deve oficializar sua saída do PSL na próxima semana e ingressar no Podemos.

Ela também afirma que “gente do partido”, que ela não quis identificar, condicionou a retirada da assinatura à tramitação do processo de cassação que existe contra a senadora no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Deixe uma resposta