Alexandre Rocha

Cerca de 40 empresários acompanharam palestra do diretor-geral da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Michel Alaby, na Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), em Cuiabá, na última sexta-feira (21). Ele falou sobre o comércio do Brasil com os países árabes e deu dicas de como negociar com empresas do Oriente Médio e Norte da África.

“A maioria tem interesse [no mercado árabe], pois o Estado é produtor de cereais e carnes”, disse Alaby à ANBA nesta terça-feira (25). Frango, carne bovina, milho e soja estão entre os principais produtos exportados pelo Brasil aos países árabes, e o Mato Grosso é um dos maiores polos agropecuários do Brasil.

De janeiro a agosto deste ano, as exportações do Estado aos países árabes somaram quase US$ 600 milhões, segundo a Câmara Árabe, e a maior parte da pauta é formada por milho, itens do complexo soja (grãos, farelo e óleo), carne bovina e frango. O Mato Grosso respondeu por 8,5% de tudo o que o Brasil embarcou à região no período.

Divulgação

Seminário ocorreu na Federação das Indústrias

“Varias pessoas vieram nos perguntar como fazer negócios com os países árabes”, destacou Alaby. O presidente da Fiemt, Jandir José Milan (ao centro na foto do alto), abriu o evento.

O seminário teve a participação do chefe do Escritório Econômico e Comercial do Egito em São Paulo, Mohamed Elkhatib (esq. na foto do alto), que falou sobre o ambiente de negócios em seu país, do acordo de livre-comércio Mercosul-Egito – em vigor desde o ano passado – e das oportunidades de exportação de produtos da nação árabe ao Brasil.

De acordo Alaby, foi discutida ainda a possibilidade de organização de uma missão empresarial do Estado a países árabes.

Deixe uma resposta