Redação 

Luiz Adriano foi apresentado nesta quinta-feira pelo Palmeiras e recebeu a camisa 10, que estava vaga desde a saída de Moisés para o Shandong Luneng (CHN). Ex-Spartak Moscou (RUS), o centroavante de 32 anos de idade respondeu o motivo pelo qual decidiu voltar ao Brasil depois de 12 anos e se fará sua estreia domingo, contra o Bahia.

– O projeto é muito bonito, muito grande, estava há muito tempo na Europa, queria ficar perto da família e acreditei nele. É um desafio para mim, por isso quis voltar ao Brasil – resumiu o reforço.

– Nunca joguei com a 10, não. Mas acho que o peso da camiseta, a história que ela tem, fico feliz de receber a 10 do Palmeiras. Espero corresponder à altura e quero dar ao máximo por este número.Ele já está regularizado para atuar no Campeonato Brasileiro e vinha jogando na Rússia. Nos três dias de treinos na Academia de Futebol, esteve integrado ao elenco, por isso há a expectativa de que possa ser relacionado no fim de semana. Ele sorriu e deixou a decisão nas mãos de Luiz Felipe Scolari.

– Estamos treinando, o grupo está trabalhando bem, agora é preparar e ver o que ele vai decidir para domingo – respondeu o camisa 10, que trabalhará pela primeira vez com Felipão.

– É um grande treinador, todos conhecem o Felipão. É uma experiência poder trabalhar com ele, aprender mais coisas. Estou feliz de poder trabalhar com ele – acrescentou.

Maior artilheiro da história do Shakhtar Donetsk (UCR) com 128 gols, Luiz Adriano jogou também no Milan (ITA), além do Spartak. Segundo ele, a estrutura que encontrou no Palmeiras não deixa a desejar de nenhuma dessas na Europa.

– Todos estão me ajudando, todos estão brincando, me ajudando. Não vou citar o nome de um ou dois jogadores. Todos estão ajudando no vestiário. A estrutura não deve nada a dos times que já joguei na Europa – disse.

Deixe uma resposta