A senadora Selma Arruda, que é juíza aposentada,  divulgou nota  afirmando que a principal divergência que motiva sua possível saída do PSL é a ação partidária para barrar a CPI da Lava Toga. Além disso, garante que não vai retirar sua assinatura do requerimento apresentado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) com objetivo de investigar a conduta de membros do Supremo Tribunal Federal e das demais cortes superiores do país. Hoje (10), o deputado federal  Luciano Bivar, presidente nacional do PSL, confirmou  que o senador  Flávio Bolsonaro, filho do presidente da  República Jair Bolsonaro, está articulando em nome do partido para tentar barrar a terceira tentativa de criação da CPI da Lava Toga. O parlamentar tem ligado para colegas  pedindo a retirada de assinaturas do requerimento.

Deixe uma resposta