Os servidores da Educação irão decidir, na tarde desta segunda-feira (10), os rumos do movimento grevistainiciado no último dia 27 em todo o Estado. Na Semana passada, o Governo do Estado enviou um ofício à categoria, que foi um verdadeiro “banho de água fria”. No documento, o governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que está impedido legalmente de conceder aumento salarial à categoria.

O documento foi avaliado pelo Conselho de Representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) neste final de semana e a decisão foi pela continuidade do movimento – o que será oficialmente informado hoje, após assembleia da categoria.

Os profissionais exigem do Governo, entre outras coisas, o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) e o cumprimento da lei da dobra salarial – que foi aprovada em 2013, na gestão do ex-governador Silval Barbosa e dá direito a 7,69% a mais na remuneração, anualmente, durante 10 anos.

 

Deixe uma resposta