Pablo Rodrigo, repórter do GD

Agora é oficial. Selma Rosane Arruda está aposentada da magistratura a partir desta terça-feira (27). A decisão foi assinada pelo presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Rui Ramos através do Ato Nº 287/2018- PRES.

“No uso de suas atribuições que lhe são conferidas resolve aposentar, ad referendum do Tribunal Pleno, a Exma. Sra. Dra. Selma Rosane Santos Arruda, mat. 6321, Juíza de Direito da Sétima Vara Criminal da Comarca de Cuiabá´- Entrância Especial, com proventos integrais, a partir desta data”, diz trecho do ato.

A juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, agora está livre para se filiar a qualquer partido político para disputar as eleições de outubro deste ano.

O nome da magistrada é especulado para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa e até mesmo numa composição de chapa, como vice, junto do atual governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), que buscará reeleição.

Entre os partidos que sonham com Selma, está o PSL do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL/RJ), que já gravou um vídeo elogiando a atuação de Selma no combate a corrupção. O filho do presidenciável, deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL/RJ) também rasgou elogios à magistrada.

Selma também expediu mandados de privação de liberdade contra o ex-deputado estadual José Geraldo Riva. A juíza é conhecida nacionalmente por suas decisões contra personagens importantes da política mato-grossense. Foi ela que determinou a prisão do ex-governador, Silval da Cunha Barbosa, no dia 15 de setembro de 2015.

Segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quem pretende concorrer aos cargos eletivos no pleito de 2018 deve se filiar a um partido político até o dia 7 de abril, ou seja, 6 meses antes da data das eleições.

Compartilhar
Notícia anteriorPeculato
Próxima notíciaRildo pega suspensão

Deixe uma resposta