Redação Extra MT

O Hospital Geral  Universitário (HGU) foi condenado a  pagar o valor de R$ 70 mil como forma de indenização aos pais de uma criança que morreu após erro médico. A decisão é do  juiz Yale Sabo Mendes, da Sétima Vara Cível de Cuiabá.

De acordo os autos do processo, em todo pré-natal, a mãe realizou três ultrassonografias,e foi atestado que o feto estava em plena saúde e boa formação.

Com 40 semanas e três dias de gravidez, a gestante se dirigiu ao hospital. Porém, recebeu a informação de que ainda não estava apta para o parto. Menos de uma semana depois, retornou, recebendo informação semelhante de que “não estaria na hora”.

Quando na terceira ida à unidade de saúde, foi informada que tinha passado do ‘tempo’ de fazer o parto. Mesmo assim, a gestante só foi encaminhada para o processo de parto com 42 semanas. Com isso, a criança foi encaminhada, após o nascimento, à Unidade de Terapia Intensiva (UTI),  desenvolvendo um quadro de paralisia cerebral. Após meses, veio a falecer.

O hospital apresentou contestação requerendo a improcedência da ação, alegando que não houve erro médico ou falha na prestação dos serviços. Porém, o juiz não aceitou a defesa.

Deixe uma resposta