Redação 

O desembargador Rui Ramos, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), decidiu por manter a prisão do bicheiro João Arcanjo Ribeiro. O magistrado concedeu, porém, a liberdade para dois réus acusados na Operação Mantus, que são Sebastião Francisco da Silva, defendido pelo advogado Neyman Monteiro, e Marcelo Gomes Honorato. A decisão é desta segunda-feira (12).

Rui  considerou a “longa ficha de antecedentes criminais”, inclusive o atual cumprimento de penas em regime semiaberto, para negar a  liberdade a Arcanjo.

A decisão é uma extensão do pedido  de extensão em habeas corpus de Giovanni Zem, genro de Arcanjo que foi solto durante sessão de julgamento do dia 7 de agosto.

“É importante ressaltar que a extensão de benefícios prevista no artigo 580 do Código de Processo Penal não se opera de modo automático, sendo imprescindível que além de se tratar dos mesmos fatos, o requerente deve se encontrar nas mesmas circunstâncias objetivas que ensejaram a concessão da ordem do paciente”, comentou o desembargador em sua decisão.

Deixe uma resposta