Olhar Direto 

Em uma decisão do último dia 23 o magistrado analisou os pedidos das defesas dos envolvidos no caso. A defesa de Denis Furtado alegou ausência de concordância na pretensão executória e requereu a rejeição parcial da denúncia. Além disso requereu a revogação da prisão preventiva.

Dr. Bumbum está preso desde o dia 19 de julho, pelo cumprimento do mandado de prisão preventiva, após denúncia contra ele pela morte de Lilian. Os advogados do médico entraram com um pedido de revogação da prisão preventiva no último mês de outubro e buscavam a substituição por medidas cautelares. A Justiça do Rio de Janeiro, no entanto, negou. Baseando-se nisso, o juiz Bruno Manfrenatti rejeitou o novo pedido.

“A denúncia, atendendo ao que dispõe o art. 41 do CPP, narra as condutas delituosas e as supostas autorias, relatando, em linhas gerais, os elementos indispensáveis à demonstração da existência dos crimes em tese praticados e os indícios suficientes para a deflagração ação penal, com elementos suficientes para garantir o direito à ampla defesa e ao contraditório”, disse o juiz.

A defesa da mãe do Dr. Bumbum, a também médica Maria de Fátima, alegou ausência de justa causa, o que foi rejeitada. Ela também havia sido presa, mas no último mês de agosto a magistrada determinou que ela, assim como Renata Cirne, namorada de Denis, bem como a assistente Rosilane Pereira cumprissem medidas cautelares.

Os advogados de Renata Fernandes requereram a sua absolvição sumária, sob alegação de atipicidade de sua conduta. Este, no entanto, não foi o entendimento do juiz.

“Não se constata na oportunidade elementos a fundamentá-la, sendo certo que a denúncia está consubstanciada na investigação promovida pelo inquérito policial, que reuniu provas suficientes acerca da materialidade do crime, bem como indícios de envolvimento da acusada no referido crime”.

Ao final o magistrado agendou para o próximo dia 11 de dezembro, as 14h15, a audiência de instrução e julgamento do caso.

O caso

Segundo fontes ouvidas pelo Olhar Direto, Lilian teria ido para o Rio de Janeiro fazer um preenchimento de glúteo com PMMA, no dia 14 de julho, pela manhã. Primeiramente, a cirurgia estaria marcada para acontecer em Brasília, mas foi transferida em cima da hora para o Rio. Ela trocou a passagem e foi.

No sábado, após o procedimento, Lilian chegou a sair do local onde foi atendida para ir jantar. Logo depois, começou a passar mal e foi hospitalizada e sofreu um mal súbito. A hora da morte foi registrada às 2h da madrugada. No entanto, o Hospital teria ligado para o telefone do responsável – uma amiga, a única que sabia que ela faria o procedimento – só doze horas depois, às 14h do dia 15 de julho.

Lilian foi gerente do antigo HSBC e estava, agora, à frente das contas do banco Bradesco. Natural de Barra do Bugres, ela era muito conhecida na capital. Ela deixa dois filhos. Um rapaz de 25 anos, e uma menina de 13, além do marido

O Conselho Regional de Medicina (Cremerj) abriu procedimento para apurar o caso. Famoso nas redes sociais, o médico possui mais de 600 mil seguidores e ofertava procedimentos de estética no Rio, em São Paulo e em Brasília. Nas redes sociais, ele é conhecido como ‘Doutor Bumbum’, em alusão aos procedimentos que realizava.

Deixe uma resposta