Arthur Santos e Pablo Rodrigo/ GD

Foi cumprido mais um mandado de prisão preventiva da Operação Bônus, que investiga fraudes em contratos no Departamento Estadual de Trânsito. Policiais prenderam o empresário José Kobori, em Brasília. Já são cinco mandados de prisão cumpridos.

Reprodução/Facebook

Kobori é sócio de diferentes empresas que receberam recursos desviados do Detran. Ele também já foi diretor-presidente da EIG Mercados (antiga FDL), principal empresa investigada no esquemae acusada de desviar, entre 2009 e 2014, cerca de R$ 27,7 milhões que teriam sido distribuídos como propina a diversos agentes públicos.

Os presos estão sendo encaminhados ao GAECO e, à tarde, passarão por audiência de Custódia. Foram expedidos pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso 06 mandados de prisão preventiva e 05 de busca e apreensão em Cuiabá, São Paulo e Brasília. As ordens partiram do desembargador José Zuquim Nogueira.

Já foram detidos o deputado estadual Mauro Savi, que também foi afastado do Parlamento Estadual e o ex-chefe da Casa Civil, Paulo César Zamar Taques. Também foram presos os empresários Roque Anildo Reinheimer e Claudemir Pereira dos Santos, vulgo “Grilo”.

A operação Bônus é resultado da análise dos documentos apreendidos na primeira fase da Bereré, dos depoimentos prestados no inquérito policial e colaborações premiadas. Tem como objetivo desmantelar organização criminosa instalada dentro do Detran para desvio de recursos públicos.

Participaram da operação “Bônus” o Núcleo de Ações de Competência Originária (NACO) Criminal e o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO).

Segundo revelato até o momento, a é acusada de desviar, entre 2009 e 2014, cerca de R$ 27,7 milhões que teriam sido distribuídos como propina a diversos agentes públicos, entre eles deputados estaduais.

Deixe uma resposta