Redação Extra MT 

O ex-comendador João Arcanjo foi ouvido em audiência nesta quinta-feira, e negou qualquer participação em esquema do jogo do bicho 

João Arcanjo Ribeiro e outros dois suspeitos de envolvimento com jogo do bicho, foram ouvidos na tarde desta quinta-feira (6), durante oitiva, na da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO).  Durante audiência, equipe da Polícia Civil que coordena a Operação Mantus Arcanjo negou envolvimento com o esquema.

Mas, segundo a polícia, mesmo negando há indícios que apontam que Arcanjo tem ligação, já que foram encontradas planilhas e também R$ 200 mil em espécie na casa dele. Arcanjo chegou na GCCO algemado e com um colete à prova de balas.

Os suspeitos de recolher dinheiro de apostas da empresa FMC ELLO, também foram ouvidos pelos delegados. Rosalvo Ramos de Oliveira e Laender dos Santos detalharam como era o trabalho deles na organização criminosa.

Operação Mantus

A operação cumpriu a 63 mandados judiciais, sendo 33 de prisão preventiva e 30 de busca e apreensão domiciliar, expedidos pelo juiz da 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá, Jorge Luiz Tadeu. As ordens judiciais foram cumpridas em Cuiabá, Várzea Grande e em mais 5 cidades do interior do Estado.

A operação coordenada pela Diretoria de Atividades Especiais, conta com o apoio da Diretoria Metropolitana, Diretoria do Interior, além do auxílio do Laboratório de Lavagem de Dinheiro da Polícia Civil na coleta dos dados, que foram trabalhados pelas equipes que atuaram diretamente no Inquérito Policial.

 

Deixe uma resposta