Nota – Assessoria de Imprensa Dep. Federal Adilton Sachetti – PSB/MT

Venho hoje aqui para esclarecer algumas informações que estão veiculando nas mídias sociais na última semana. Sou um deputado que sempre esteve atento à área de saúde, principalmente ligado às necessidades de entidades filantrópicas que atendem pessoas com câncer. Posso dizer que sou um dos parlamentares do estado que mais destinaram emendas para essa área desde o início do meu mandato.

De maneira geral, para atendimento à Saúde Pública, destinei emendas para todos os níveis, da atenção básica especializada, urgência e emergência e também hospitais filantrópicos. De 2015 a 2018 (emendas que já estão no Orçamento Geral da União deste ano), indiquei R$ 25.280.739. E juntamente com os meus colegas da bancada federal também já destinamos, só para 2018, mais de R$ 100 milhões para essa área no Estado.

Toda a discussão que envolve o meu nome é porque indiquei emendas para três entidades que não são do estado. Sendo que duas delas são referência no Brasil em tratamento de câncer. A Beneficência Portuguesa que possui um dos maiores e mais completos núcleos de tratamento de câncer no país e uma unidade filantrópica exclusiva para atendimento de pacientes encaminhados pelo SUS; e o hospital do Câncer de Barretos que tem um importante Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular. Além deles, a Rede Sarah de Hospitais, maior centro de reabilitação para lesão medular no país e referência na América Latina. O total indicado para esses hospitais em 2017 e 2018 é de R$ 1.800.000. Essas entidades atendem pacientes de todo o Brasil. Só como exemplo, no Hospital do Câncer de Barretos foram mais de 30 mil atendimentos a mato-grossenses em 2016.

Lembro aqui que é prerrogativa de um parlamentar federal, indicar emendas para qualquer unidade da federação. Além disso, todos os projetos apresentados para obtenção de recursos públicos são regidos por legislação específica e passam pelo crivo de uma equipe técnica do órgão, que analisa a viabilidade das propostas e acompanha a execução. Entidades que não são filantrópicas, que não estão com a documentação em dia, ou que são inadimplentes, não conseguem receber.

O importante mesmo é o cidadão ter o atendimento especializado, seja onde for. Se não puder ser em sua região, ele acaba buscando esses hospitais de referência e que atendem pelo SUS em outros estados. Acho estranho veicularem matérias onde só citam o meu nome. Por que não colocaram as emendas de todos que também destinam para hospitais de outros estados, só as minhas? Onde querem chegar com esse tipo de matéria?

*O quadro mostra todas as emendas indicadas por nós para os hospitais filantrópicos de MT desde o início do nosso mandato.

Imprensa Dep. Federal Adilton Sachetti – PSB/MT

Deixe uma resposta