O Gaeco cumpre neste momento 8 mandados de condução coercitiva e 8 mandados de busca e apreensão em Cuiabá, Cáceres, Primavera do Leste e iRio de Janeiro, todos expedidos pela Vara Especializada do Crime Organizado da Capital.
Entre os alvos estão servidores da Assembleia e do Tribunal de Contas, bem como empresários e um advogado. As sedes da Fundação de Apoio ao Ensino Superior Público Estadual (Faespe), Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino e Assistência à Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (Funrio) e Associação Plante Vida também são objeto de busca e apreensão por agentes do Gaeco.
Além do crime de constituição de organização criminosa, também há indicativos da prática de peculato e lavagem de dinheiro. A ação visa desarticular organização criminosa engendrada para saquear os cofres públicos, notadamente recursos públicos da Assembleia e TCE. Os desvios se davam por meio de fraude nos convênios firmados com a Faespe, Funrio e Associação Plante Vida.
Outras fases
As fases anteriores originaram denúncias contra 23 investigados, contudo, investigações complementares indicaram o envolvimento de mais pessoas na organização criminosa, além de revelar que o desvio de recursos públicos é bem maior do que fora apurado anteriormente.
A operação contou com apoio de policias do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Força Tática de Várzea Grande e Cáceres e Gaeco do Estado do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta