Lumar Costa da Silva, 28, autor do crime brutal contra a tia,  Maria Zélia da Silva Cosmos, de 55, disse, em entrevista à imprensa que não se arrepende e que ela (a tia ) mereceu morrer. O crime aconteceu em Sorriso (420 km de  Cuiabá) no dia 2 de julho. Lumar matou a tia e depois arrancou seu coração, com a vítima ainda respirando, e levou o órgão para a sua prima, filha de Maria Zélia.

Além de confessar o crime, ele ainda falou que estava sob efeito de drogas no momento do crime e que tudo “foi acontecendo”. Em diversos momentos, ao relatar o assassinato brutal, ele sorriu ao lembrar do fato.

Em toda a entrevista, Lumar enquanto falava do crime, sorria. Ele detalhou sua ação e disse que a tia o chamava de “viadinho e drogado” e achava que ele queria tomar sua casa. “Matei ela mesmo, não me arrependo de ter matado, ela mereceu morrer. Estava me sacaneando, falando pelas minhas costas, me chamando de viado (sic) e drogado. Eu tinha tomado LSD no mesmo dia do crime. Fumo maconha também. Não tinha planejado, foi acontecendo. Quando eu achei que era hora de morrer, fui com esta intenção. A arma ficou lá na cozinha, onde eu peguei”, detalhou.

O acusado ainda  acrescenta, de forma fria: “Eu fiz e não me arrependo. Ela mereceu morrer. Agora, os familiares têm um teto para morar, vão ficar bem. Cheguei com o coração da titia, coloquei na pia e falei: tá lá o coração da tia, eu arranquei”.

Deixe uma resposta