Redação Extra MT 

Ao contrário do governador Mauro Mendes (DEM), o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Eduardo Botelho (também do DEM), enxergou a rejeição do servidor de carreira Emerson Almeida de Souza à diretoria da Ager como “traição” de alguns deputados.

 Botelho  atribui o resultado da votação à articulação do deputado Max Russi (PSB). Acusado de praticar “canalhice” diante dos colegas, o socialista optou por não responder e deixou o plenário em silêncio.

Já o governador preferiu não comentar a situação. Afirmou que somente Botelho pode esclarecer o motivo de ter se indignado com a conduta do colega.

Deixe uma resposta