Pablo Rodrigo/A Gazeta

A coligação Pra Seguir em Frente, composta pelos partidos PSDB, PSL, PPS, DC, PRTB, PSB, PRP, Patriotas, Avante e SD, e que tem o governador Pedro Taques (PSDB) como candidato à reeleição, decidiu tirar todo o tempo de propaganda no rádio e televisão da candidata ao Senado Selma Arruda (PSL). A decisão ocorreu após o rompimento dela em definitivo com o grupo, que também tem o deputado federal Nilson Leitão (PSDB) disputando o Senado.

“Após ela [Selma] ter anunciado o rompimento unilateral e, mesmo assim, manter sua candidatura, falando mal da coligação e atacando o governador e o Nilson, todos os partidos se reuniram no final de semana e decidiram tirar todo o tempo dela”, disse o coordenador jurídico do bloco, José Antônio Rosa.

O advogado explica que o tempo de propaganda do PSL não conta no total da coligação, o que faz com que Selma não tenha direito ao espaço na TV. “A legislação diz que o tempo da coligação é a soma dos seis maiores tempos dos partidos. Neste caso, se somou o PSDB, PSB, SD, PPS, PRP e Patriotas. O PSL ficou de fora da soma”.

Ainda de acordo com ele, as legendas também deliberaram que o nome de Selma Arruda ficará de fora de todo o material de campanha. “Tanto no material gráfico e de publicidade da chapa majoritária, como nas chapas proporcionais, o nome dela será retirado”, disse.

Questionado se a coligação chegou a cogitar a substituição da candidata na chapa, José Rosa disse que apenas o PSL pode tomar tal decisão. “Isso caberá ao PSL, já que foi o partido que indicou ela. O que se discutiu foi a possibilidade da saída do PSL da coligação, mas, por unanimidade, isso foi descartado”, revelou.

O programa de Selma Arruda não foi veiculado nesta segunda-feira (3), o que fez com que o programa de Nilson Leitão tivesse o tempo total da coligação: 1 minuto e 32 segundos.
A defesa Selma disse que vai recorrer à justiça.

Deixe uma resposta