RAONI RICCI

Mesmo tendo perdido por 5 x 0 no Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Mato Gross (TRE-MT) na manhã desta quinta-feira (7), o deputado estadual e candidato ao governo, José Riva (PSD), manteve o otimismo em relação ao processo eleitoral de 2014. Para o parlamentar, o julgamento do TRE contrariou a tendências de decisões em casos semelhantes que estão acontecendo em todo o Brasil.

 

“Não tenho plano B, só tenho plano A. Eu tenho certeza que sou elegível. O julgamento do TRE contrariou a postura de outros tribunais em todo o País em casos semelhantes aos meus. O TRE fez mais um julgamento de um tribunal comum, fez uma revisão de uma decisão. Isso porque o Ministério Público havia recorrido, perdeu e deixou transitar em julgado”, disse Riva, reafirmado que em nenhuma das 4 condenações sofridas no Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso.

 

Riva insinuou que o TRE sofreu pressão política para impugná-lo, avisou que vai recorrer da decisão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e que o corpo-a-corpo de sua campanha eleitoral será intensificado nos próximos dias.

 

“A lei é muito clara, precisa comprovar o dolo, enriquecimento ilícito, e isso não existe comigo. Vou recorrer eu vou ganhar no TSE, que não recebe pressão como os tribunais de instâncias inferiores. Só preciso do meu registro e de 15 dias para ganhar a eleição”, garantiu o candidato.

 

Riva confessou que já esperava por um resultado contrário e enfatizou que o seu adversário, o candidato Pedro Taques (PDT), antecipou o resultado do julgamento. Segundo Riva, Taques só errou o dia em que a decisão sairia.

 

“Eu sempre soube que era um jogo de 2 tempos, ganhando ou perdendo hoje eu já estava preparado e sabia que precisaria recorrer no TSE. A pressão é normal no processo político. Quando eu entrei nesse jogo sabia do risco. O curioso é que o senador Pedro Taques já sabia do resultado, só errou o dia. Ele tinha dito que eu não seria mais candidato no dia 5, e o julgamento foi adiado para o dia 7”, observou o deputado.

 

Apesar da derrota, o candidato da coligação ‘Viva Mato Grosso’ avaliou que não sofrerá perdas políticas, mas admitiu que terá dificuldades financeiras no decorrer da campanha eleitoral. “Quero dizer que não estou fora e que vamos virar esse jogo. Vamos intensificar o corpo-a-corpo, mas vamos fazer uma campanha mais humilde, pé no chão. Já íamos gastar muito menos, não contratamos nenhum cabo eleitoral. Vai ser modesta, mas não vai ser inexpressiva”, afirmou.

Compartilhar
Notícia anteriorINVESTIGAÇÃO
Próxima notíciaMARK

Deixe uma resposta