Redação Extra MT 

O prefeito Emanuel Pinheiro concedeu coletiva na manhã desta sexta-feira (15),  para esclarecer sobre a situação do Hospital Santa Casa de Misericórdia. Na Ocasião, ele anunciou que irá processar a gestão do Hospital, que promoveu uma desumanização com os pacientes, paralisando as atividades, alegando que o município não fez os repasses de recursos à unidade de saúde.

“Irresponsabilidade, maldade, desumanidade o que fizerem sem no mínimo ter notificado os pais, as famílias e os pacientes com 90 dias antes”, criticou o prefeito. “Não existia nenhuma possibilidade que esse ato de desumanidade, de violência contra a vida humana pudesse ter sido perpetrado pela Santa Casa de Cuiabá”,  declarou.

Emanuel  disse que o hospital filantrópico  é contratualizada como demais instituições e,  assim, não poderia rescindir ou suspender os serviços sem prévia notificação de no mínimo 90 dias de antecedência.

“Estou sendo injustamente cobrado como se Cuiabá fosse a única responsável pela Santa Casa”, criticou o prefeito. De acordo com ele, 70% dos pacientes na unidade são do interior de Mato Grosso.

Para tentar minimizar a situação e atender as necessidades dos pacientes que ficaram sem atendimento, o prefeito também destinará um aditivo financeiro para o HGU e Hospital de Câncer, para que esses consigam  receber os pacientes da Santa Casa. Somando-se a isso, 10 UTIs no São Benedito foram separadas para dar suporte.

“Garanto todo o atendimento, a continuidade do tratamento e todo atendimento a essas crianças e esse adultos que estão em tratamento na Santa Casa de Misericórdia com esse procedimento que chamamos de ação humanitária em prol dos pacientes que estavam em tratamento na Santa Casa de Misericórdia. Nenhum vai ficar de fora e nenhum vai ficar sem atendimento a altura do atendimento que estavam tendo”.

 

 

 

Deixe uma resposta