Redação Extra MT

O ex-secretário de Saúde da Capital,  Huark Douglas Correia, e os médicos Luciano Correia Ribeiro e Fábio Liberali Weissheimer, presos desde o dia 30 de março, foram transferidos do Centro de Custódia da Capital (CCC) para uma unidade da polícia militar.

Os três se encontram presos acusados de serem membros, Huark sendo apontado com líder,  de uma quadrilha que fraudava licitações para beneficiar empresas da área de prestação de serviços médicos em contratos com a Secretaria Municipal de Saúde e com o Estado de Mato Grosso.

A transferência para outra unidade prisional, foi feita na última sexta-feira (19) por determinação da juíza Ana Cristina Mendes, da 10ª Vara Criminal de Cuiabá, conforme informou a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp).

Operação Sangria

A primeira fase da operação Sangria foi deflagrada no dia 4 de dezembro de 2018, cumprindo 11 mandados de busca e apreensão. Nela, são apuradas fraudes em licitações para beneficiar empresas da área de prestação de serviços médicos em contratos com a Secretaria Municipal de Saúde e com o Estado de Mato Grosso.

Já na segunda fase, deflagrada no dia 18 de dezembro de 2018, foram presos o ex-secretário municipal de Saúde, Huark Douglas, Luciano Correa Ribeiro, Fábio Liberali Weissheimer, Celita Natalina Liberalli, Adriano Luiz Sousa, Kedna Iracema Fonteneli Servo e Flávio Alexandre Taques da Silva.

No dia 11 de abril, o desembargador Alberto Ferreira de Souza, mandou soltar o ex-secretário adjunto de Gestão de Saúde de Cuiabá, Flávio Taques, Fabio Alex Taques Figueiredo, Kedna Iracema Fontenele e Celita Natalina Liberalli.

 

Deixe uma resposta