Celly Silva e Janaiara Soares/GD

O deputado estadual licenciado e secretário de Estado de Trabalho e Assistência Social Max Russi (PSB) assume nesta segunda-feira (2) a chefia da Casa Civil, cargo mais alto do secretariado do governo estadual. A nomeação no Diário Oficial do Estado (DOE) deve sair na terça-feira (3).

Ele mesmo confirmou a nomeação ao Gazeta Digital. O convite partiu do governador Pedro Taques (PSDB) no domingo (1º), com o argumento de que mudanças profundas ocorrerão em breve, sem, contudo, explicar quais.

O governador me convidou ontem. Disse que decidiu fazer mudanças e me pediu para assumir, mas não aprofundou que mudanças seriam essas, mas serão muitas”, disse.

Russi também adiantou que ficará a frente da pasta, até então comandada por José Adolpho Vieira, somente até março de 2018, quando deve retornar para a Assembleia Legislativa e, posteriormente, se preparar para a campanha à reeleição.

O comando da Casa Civil passou por mudanças desde que o ex-secretário Paulo Taques deixou o cargo em maio, para defender o governador Pedro Taques, primo dele, da acusação de ter prevaricado em relação ao escândalo das interceptações telefônicas ilegais, denunciado pelo promotor de justiça Mauro Zaque à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Pouco tempo depois, a investigação apontou a participação de Paulo Taques no esquema criminoso e ele acabou preso por uma semana. Na semana passada, ele foi preso novamente por obstrução de justiça, ou seja, tentar atrapalhar a apuração dos fatos.

Nos bastidores, especula-se que a saída de José Adolpho tenha ocorrido pelo mesmo problema pelo qual passou seu antecessor e que sua saída seria a antecipação a uma possível citação no inquérito conduzido pelo desembargador Orlando Perri, de modo a evitar novos desgastes ao governo.

Deixe uma resposta