Redação

O governador Mauro Mendes (DEM) emitiu um comunicado, na noite de sexta-feira (11), pedindo crédito de confiança aos fornecedores e prestadores de serviço de vários segmentos de Mato Grosso que estão sem receber.

Conforme o governador, o Estado tem um débito de R$ 3,9 bilhões de restos a pagar a essas empresas.

“Estamos tratando a situação com a seriedade que ela merece e há apenas uma forma que conhecemos para equacionar tudo isso: é colocar Deus na frente e trabalhar. Contamos com a parceria e que depositem um crédito de confiança em nosso trabalho”, disse em comunicado.

falta de pagamento atingiu, na semana passada, os médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que ameaçaram se demitirem.

Para equacionar a dívida, tanto com o Samu, quanto com outras empresas, Mauro encaminhou a Assembleia Legislativa Projetos de Lei que, segundo ele, darão condições financeiras ao Governo para quitar os débitos.

Entre elas está o novo Fethab, a reforma administrativa e uma versão estadual da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

“Todas essas medidas visam o reequilíbrio financeiro do Estado, com a contribuição de todos os setores da sociedade. Nossa expectativa é que, se tudo for aprovado na Assembleia, possamos dar início ao processo de reorganização das contas públicas, com a entrada de mais recursos financeiros nos cofres do Estado e a diminuição dos gastos públicos”, disse.

 

“Os restos a pagar estão acima da capacidade econômica atual e, por isso, tomamos medidas drásticas e aguardamos a aprovação da Assembleia Legislativa de Mato Grosso”, acrescentou.

 

Os deputados devem apreciar as matérias do novo chefe do Executivo ainda neste mês. O objetivo de Mendes é que as medidas passem a valer em fevereiro.

Foto: Alair Ribeiro

Deixe uma resposta