Redação GD

O governador Mauro Mendes (DEM) defendeu durante sua posse, na terça-feira (1º), um programa de investimentos de médio e longo prazo em Mato Grosso. Assim, segundo ele, a arrecadação do estado também cresce. O atual cenário é visto com preocupação. “Mato Grosso deve para praticamente 100% dos seus fornecedores, deve aos Poderes, aos municípios e deve à Saúde”, alertou.

Neste programa, citou Mendes, será inserida a desburocratização tributária. “Precisamos criar um ambiente de trabalho para o estado de Mato Grosso que seja mais atrativo para quem estar hoje no Estado e possa ser convidativo para quem queira vir”, disse Mendes, na primeira entrevista coletiva.

De acordo com o chefe do Executivo, o equilíbrio é uma meta importante de agora em diante para receita e despesas. “O  principal pilar é fazer o equilíbrio fiscal, fazer com que receita seja igual a despesa”, reforçou.

“O estado precisa de algo semelhante a uma recuperação judicial”, explicou o governador. “Mato Grosso tem que entrar num plano de recuperação fiscal seria analogamente a uma recuperação judicial na iniciava privada”, esclareceu Mendes, que ainda não detalhou como executará o programa.

Segundo Mauro Mendes, os secretários vão analisar as informações recebidas durante o período de transição de governo.

Mauro anunciou também que está previsto para o dia 8 de janeiro o envio para a Assembleia Legislativa das primeiras medidas que necessitam de aprovação dos deputados, como a unificação do Fundo de Transporte e Habitação (Fethab 1 e 2) e a reforma administrativa da máquina, com a redução de 24 para 15 secretarias, fusões e extinções de órgãos da administração indireta do governo.

O governador espera que a Assembleia Legislativa debata os assuntos para que as medidas possam ser aprovadas em um curto espaço de tempo.

Foto: Mayke Toscano

Deixe uma resposta