Redação

Ao ser questionado por jornalistas nesta sexta-feira (26), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, negou que o presidente da República, Jair Bolsonaro, esteja “minando” a reforma da Previdência por ter comentado na quinta-feira (25) sobre a possibilidade de o governo abrir mão de parte do R$ 1,2 trilhão de economia em 10 anos com a mudança. Em café da manhã com a imprensa no Palácio do Planalto na quinta, Bolsonaro afirmou que “se a reforma representar uma economia menor de R$ 800 bilhões em 10 anos, o Brasil ficará em situação parecida com a da Argentina”.

— Jair Bolsonaro tem dito em todas as suas declarações que quem trata da economia no seu governo é o ministro Paulo Guedes. Ele tem humildade de falar isso como presidente da República para mostrar para a nação brasileira, como líder da nossa nação, que ele delegou essa atribuição ao ministro da Economia, que tem todo nosso respeito, nosso reconhecimento e a nossa admiração — explicou Davi.

O presidente do Senado disse ainda que Bolsonaro espera que a reforma da Previdência saia do Congresso com a força suficiente para provar que o Brasil tem capacidade de ajustar suas contas e de seguir um novo caminho.

— Há, sim, na reforma, pontos em que há certa divergência entre deputados e senadores. É natural da democracia, vamos debater. Nós vamos entregar para o Brasil uma reforma que possa de fato equilibrar as contas públicas e dar tranquilidade jurídica para o Brasil se desenvolver para gerarmos emprego, gerar mais renda para a população e darmos para os brasileiros o que eles esperam na classe política: emprego. É o que os brasileiros querem e a reforma vai proporcionar isso.

Deixe uma resposta